A luta continua 40 anos depois: histórias entrelaçadas da África Austral, de Caio Simões de Araújo Colecção de livros «Regards croisés França-Moçambique»

Illustration A luta continua 40 anos depois: histórias entrelaçadas da África Austral, de Caio Simões de Araújo

O Centro Cultural Franco-Moçambicano, em parceria com a Embaixada de França em Moçambique, a AFRAMO e a Alcance Editores, acolhe, na quinta-feira dia 30 de Novembro, às 18h, o lançamento do livro colectivo A luta continua, 40 anos depois: histórias entrelaçadas da África Austral, coordenado pelo Dr. Caio Simões de Araújo (Universidade de Genebra).

A luta continua, 40 anos depois: histórias entrelaçadas da África Austral é o quinto livro da colecção «Regards Croisés França-Moçambique» lançada pela Embaixada de França e a Alcance Editores em 2015. Os primeiros dois livros da mesma colecção foram publicados em Maio de 2015. Mais recentemente – “O poder do poder”, de Carlos Domingos Quembo, foi lançado em Abril de 2016 – e no dia passado dia 22 de Novembro foi lançado o livro do Jean-Pierre Olivier de Sardan “A política do trabalho de campo” sobre metodologia de pesquisa em socio-antropologia.

O objectivo da colecção é a publicação anual de trabalhos de pesquisa moçambicanos e franceses sobre Moçambique e a sua região.

A luta continua, 40 anos depois é resultado da conferência internacional A Luta Continua, 40 Years Later: entangled histories and legacies of empire in Southern Africa, financiada e realizada no Instituto Francês da África do Sul, em Joanesburgo, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação Pierre du Bois para a História do Tempo Presente. Cerca de quatros décadas após o desmontar do “último império,” o livro retoma o lema da libertação moçambicana, “a luta continua”, como um ponto de partida para revisitar o problema histórico e historiográfico da descolonização na África Austral. De Maputo a Joanesburgo ou Harare, no original ou em tradução – the struggle continues –, esta frase tornou-se um símbolo das lutas transnacionais contra sistemas de opressão interligados, tais como o colonialismo e o racismo do apartheid. Ao longo de dez capítulos, investigadores de várias nacionalidades e trajectórias académicas reflectem sobre as dimensões entrelaçadas, internacionais e comparativas da descolonização como um momento histórico complexo e multifacetado. O livro pretende fazer justiça a esta história rica e diversa ao compilar, no mesmo volume, estudos sobre Angola e Moçambique e outros países da região, como Zimbabué, Namíbia e África do Sul.

Sobre o coordenador

Caio Simões de Araújo Doutorado em História e Política Internacional no Instituto de Altos Estudos Internacionais, da Universidade de Genebra, Suíça. É Mestre em Sociologia e Antropologia Social pela Central European University, de Budapeste, Hungria, e Licenciado em Relações Internacionais pela Universidade de Coimbra, Portugal. Seus interesses de investigação incluem a história do colonialismo, do apartheid e da descolonização na África Austral, a história transnacional do (anti-)racismo, e as histórias entrelaçadas do Sul Global.

Tomem nota:

  • Quinta-feira, 30 de Novembro 2017, às 18h
  • Auditório
  • Gratuito
O seu sítio contém fóruns por assinatura; os visitantes são convidados a registar-se no sítio público.